CHIKUNGUNYA – Seminário em Fortaleza reúne especialistas da Bahia, Rio de Janeiro e Goiás para discutir a doença e formas de controle do Aedes

15 de março de 2017


ATENÇÃO: As inscrições são gratuitas, mas são obrigatórias.

Tendo em vista o caráter epidêmico da chikungunya e a gravidade da doença, relativamente nova para a saúde pública brasileira, a Frente Parlamentar de Combate ao Aedes aegypti da Assembleia Legislativa, em parceria com instituições e sociedade civil, realiza, no próximo dia 27/03 (segunda-feira), às 8h, no auditório Deputado João Frederico Ferreira Gomes, o seminário: “CHIKUNGUNYA – Conhecer para prevenir e combater: Experiências e atitudes no enfrentamento ao Aedes aegypti”.

As consequências da febre chikungunya para a saúde das pessoas, políticas públicas, estratégias e ações de enfrentamento ao mosquito transmissor serão abordadas durante o evento. O Seminário é voltado para especialistas, gestores municipais, profissionais da saúde, técnicos da área do controle das arboviroses, instituições de ensino e pesquisa, empresários e sociedade civil.

A programação do Seminário, que vai contar com a participação de especialistas da área da saúde do Ceará, da Bahia, do Rio de Janeiro e de Goiás, contempla desde o conceito da doença às técnicas de inovação de combate ao transmissor da chikungunya.

A médica infectologista, Dra. Melissa Falcão, da Bahia, apresentará a doença e seus riscos. Já o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Adeilson Loureiro Cavalcante, irá compartilhar algumas políticas públicas e ações que deram certo Brasil no enfretamento ao Aedes.

 

A CHIKUNGUNYA PODE MATAR

Com o desenvolvimento de novas pesquisas, está se provando que, além de causar importantes limitações físicas, a chikungunya também mata. Segundo especialistas do estado de Pernambuco, a chikungunya é a pior das arboviroses.

No Ceará, uma pessoa já morreu este ano, vítima da doença. Em 2016, foram 81 óbitos suspeitos por chikungunya, sendo 26 confirmados. Segundo dados do último boletim epidemiológico da Secretaria Estadual da Saúde, este ano já foram registrados 3.385 casos de chikungunya no Estado.

 

O EVENTO

O Seminário “CHIKUNGUNYA – Conhecer para prevenir e combater: Experiências e atitudes no enfrentamento ao Aedes aegypti” é uma promoção da Frente Parlamentar de Combate ao Aedes aegypti, com o apoio e colaboração da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (SESA), da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Ceará (CONSEMS-CE) e da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (APRECE) e apoio institucional do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza (SMS), do Conselho Estadual de Saúde do Ceará (CESAU), da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (CAGECE), do Núcleo de Tratamento e Estimulação Precoce (NUTEP), da Universidade Federal do Ceará (UFC), da Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP), da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), do Ministério Público do Estado do Ceará (MP-CE), da Universidade de Fortaleza (UNIFOR), do Ministério da Saúde (MS), do Café Santa Clara, da Jandaia, da Panebox, da Alivita e da Montmartre.

 

 

PROGRAMA

8h às 8h30 – Entrega de Material

8h30 às 9h10 – Abertura

9h20 às 10h10 – Palestra 1 > Chikungunya: A Doença e seus Riscos
Dra. Melissa Falcão (Médica Infectologista – BA)
Dr. Robério Leite (Médico Infectologista Pediátrico – CE)

10h10 às 10h30 – Debates
Dep. Carlos Felipe – Pres. da Comissão de Saúde da AL-CE
Profª. Márcia Machado – Pró-reitora de Extensão da UFC

10h30 às 11h – Intervalo

11h às 11h40 – Palestra 2: Gestão e Tecnologia a Serviço da Saúde
Dr. Leonardo Vilela – Secretário de Saúde de Goiás

11h40 às 12h20 – Debates
Dep. Carlos Matos – Pres. da Frente Parlamentar de combate ao Aedes aegypti da Assembleia Legislativa
Henrique Javi – Secretário de Saúde do Estado do Ceará

12h20 às 14h – Intervalo para almoço

14h às 14h40 – Palestra 3: Políticas Públicas, Estratégias e Ações
Adeilson Loureiro Cavalcante – Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde

14h40 às 15h10 – Debates
Gadyel Gonçalves de Aguiar Paula – Presidente da APRECE

15h10 às 15h40 – Intervalo

15h40 às 16h40 – O Aedes aegypti e os Desafios para o Controle
Ademir Martins – Fundação Oswaldo Cruz (RJ)
Nélio Morais – Gerente da Célula de Vigilância Ambental da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza
Representante da SESA

16h40 às 17h10 – Debates
Carlile Lavor – Representante da Fundação Oswaldo Cruz – CE
Josete Malheiro Tavares – Presidente COSEMS – CE

17h10 às 17h30 – Encaminhamentos e encerramento

 

SOBRE OS PALESTRANTES

Leonardo Vilela

Médico pediatra, formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Deputado Federal por três mandatos. Atualmente ocupa o cargo de Secretário de Estado da Saúde de Goiás. Também já ocupou os cargos de Secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, de Agricultura, de Infraestrutura e de Gestão e Planejamento.

 

Melissa Barreto Falcão

Médica Infectologista com graduação na UFBA e residência no Hospital Couto Maia – BA. Pós-graduação em Saúde Coletiva na UEFS. Infectologista da Vigilância Epidemiológica de Feira de Santana – BA. Membro do Comitê de Arboviroses da Sociedade Brasileira de Infectologia. Membro do Grupo Técnico de Arboviroses do Ministério da Saúde.

 

SERVIÇO

CHIKUNGUNYA – Conhecer para prevenir e combater: Experiências e atitudes no enfrentamento ao Aedes Aegypti 

Data: 27/03/17 (segunda-feira) 

Hora: 8h às 17h30

Local: Auditório Deputado João Ferreira Gomes (6º andar)

Endereço: Av. Desembargador Moreira, 2807. Bairro Dionísio Torres. CEP: 60.170-900

Inscrições: https://goo.gl/forms/01r9CQ1a1n1YYyPK2

 

 

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA

Karol Martins – (85) 98848-8321 / (85) 99998-1489

Obs.: As Assessorias de Comunicação de todas as secretarias e órgãos envolvidos no Seminário estão disponíveis para agendamentos de entrevistas e quaisquer dúvidas eventuais.

 

Termos: